20 Exemplos de
Metais e não metais

Toda a matéria conhecida é composta de átomos, dos 118 elementos químicos que compõem a tabela periódica. Uma das classificações destes elementos é metais e não metais (ou ametais), de acordo com sua natureza e suas propriedades.

Quase todos os elementos são metálicos, geralmente originários de minerais e com propriedades e interações elétricas estudadas em profundidade pela química inorgânica. Em contrapartida, os demais elementos, os não metais, são necessários para a vida e compõem as diferentes formas de matéria orgânica conhecida, embora alguns metais também façam parte de moléculas orgânicas e desempenhem um papel importante nos organismos vivos.

Diferenças entre metais e não metais

Os metais e os não metais diferem em suas propriedades fundamentais e nos tipos de reações possíveis.

  • Metais. São sólidos em temperatura ambiente, com exceção do mercúrio. São brilhantes, mais ou menos dúcteis e maleáveis, e são bons condutores de eletricidade e calor. Em contato com oxigênio ou com ácidos, oxidam e corroem (perda de elétrons). São menos eletronegativos e têm menor energia de ionização do que os não metais. Por exemplo: alumínio, chumbo, sódio.
  • Não metais. Normalmente, são maus condutores de eletricidade e calor, com aparência variada e pontos de fusão geralmente bem inferiores aos dos metais. Muitos existem como moléculas, como o oxigênio molecular (O2) ou o dicloro (Cl2). Podem ser macios, como o enxofre, ou duros, como o diamante, e estão presentes em qualquer um dos três estados da matéria: gasoso, líquido e sólido. Sua aparência, além disso, geralmente não reflete a luz e pode ter cores diferentes. Por exemplo: hélio, cloro, iodo.

Enfim, os elementos metálicos costumam interagir eletrostaticamente com elementos não metálicos para formar ligações iônicas, o que resulta em compostos químicos como os sais. Os não metais, por outro lado, geralmente formam estruturas moleculares complexas por meio de ligações de natureza variada (ligações covalentes, interações de pontes de hidrogênio, ligações peptídicas etc.). Assim, a química orgânica ou da vida é baseada nestes últimos, embora os corpos vivos sejam compostos de combinações de ambos os tipos de elementos.

Exemplos de metais

  1. Ferro (Fe). É um dos metais mais abundantes na crosta terrestre, que constitui o coração do planeta, onde é encontrado em estado líquido. Sua propriedade mais notável, além de sua dureza e relativa ductilidade, é sua grande capacidade ferromagnética. Por meio da liga com carbono, é possível obter o aço.
  2. Magnésio (Mg). É um elemento muito abundante na terra, tanto em sua crosta quanto dissolvido nos mares. Jamais ocorre na natureza em seu estado puro, mas apenas como íons formando sais. É indispensável para a vida, pode ser empregado em ligas e é altamente inflamável.
  3. Ouro (Au). É um metal precioso amarelo, macio, brilhante e que não reage com a maioria dos produtos químicos, exceto cianeto, mercúrio, cloro e alvejante. Ao longo da história, desempenhou um papel vital na cultura econômica humana, como símbolo de riqueza e suporte para moedas.
  4. Prata (Ag). Outro dos metais preciosos, é branco, brilhante, dúctil e maleável, ocorrendo na natureza como parte de vários minerais ou como partículas puras do elemento. Não é muito comum na crosta terrestre. É o melhor condutor conhecido de calor e eletricidade.
  5. Alumínio (Al). Um metal muito leve e não ferromagnético, o terceiro mais abundante na crosta terrestre. É altamente valorizado no ramo industrial da siderurgia, já que as ligas podem ser usadas para obter variantes de maior resistência sem perder a versatilidade. Tem baixa densidade e ótima resistência à corrosão.
  6. Níquel (Ni). É um metal branco muito dúctil e maleável, bom condutor de eletricidade e calor, além de ser ferromagnético. É um dos metais densos, juntamente com o irídio, o ósmio e o ferro. É fundamental para a vida, pois faz parte de muitas enzimas e proteínas.
  7. Zinco (Zn). Trata-se de um metal de transição semelhante ao cádmio (Cd) e ao magnésio (Mg), frequentemente usado em processos de galvanoplastia, ou seja, revestimento protetor de outros metais. É muito resistente à deformação plástica a frio, por isso é trabalhado acima de 100 ºC.
  8. Chumbo (Pb). É amplamente utilizado como blindagem para evitar o contato humano com emissões radioativas. É um elemento muito especial, dada sua flexibilidade molecular única, facilidade de fusão e relativa resistência a ácidos fortes, como o sulfúrico ou o clorídrico.
  9. Estanho (Sn). É um metal pesado, facilmente oxidado, usado em muitas ligas para proporcionar resistência à corrosão. Quando dobrado, produz um som muito característico que foi batizado de “grito de estanho”.
  10. Sódio (Na). É um metal alcalino, macio e prateado, encontrado no sal marinho e no mineral chamado halita. É altamente reativo, oxidável e reage de forma exotérmica e violenta quando misturado com água. É um dos principais componentes dos organismos vivos conhecidos.

Exemplos de não metais

  1. Hidrogênio (H). É o elemento mais comum e abundante no universo. É um gás encontrado não só na atmosfera (como a molécula diatômica H2) como também faz parte da grande maioria dos compostos orgânicos, assim como no coração das estrelas, onde ocorre a fusão entre os núcleos desse elemento. É também o elemento mais leve da Tabela Periódica. Ademais, é inodoro, incolor e insolúvel em água.
  2. Oxigênio (O). É indispensável para a vida, usado pelos animais em seus processos de obtenção de energia (respiração). Esse gás (O2) é altamente reativo e forma óxidos com quase todos os elementos da tabela periódica, exceto com os gases nobres. Forma quase a metade da massa da crosta terrestre e é vital para a formação da água (H2O).
  3. Carbono (C). É o elemento central de toda a química orgânica, comum a todos os seres vivos conhecidos e parte de mais de 16 milhões de compostos que o requerem. Pode ser encontrado na natureza em duas formas diferentes: grafite e diamante, que têm uma estrutura baseada em átomos de carbono, mas dispostos de maneiras diferentes. Com o oxigênio, forma o dióxido de carbono (CO2), que é essencial para a fotossíntese.
  4. Enxofre (S). É um elemento macio, abundante e com odor característico, comum à atividade de quase todos os organismos vivos e abundante em contextos vulcânicos. É amarelado e insolúvel em água, essencial para a vida orgânica e extremamente útil em processos industriais.
  5. Fósforo (P). Apesar de nunca ser encontrado em seu estado nativo na natureza, constitui uma parte indispensável de muitos compostos orgânicos e organismos vivos, como o DNA e o RNA, ou o ATP. É altamente reativo e emite luz em contato com o oxigênio.
  6. Nitrogênio (N). É um gás normalmente diatômico (N2) que compõe 78% do ar na atmosfera e está presente em muitas substâncias orgânicas, como a amônia (NH3), apesar de ser um gás de baixa reatividade em comparação com o hidrogênio ou o oxigênio.
  7. Hélio (He). É o segundo elemento mais comum no universo e também pode ser obtido como produto da fusão nuclear do hidrogênio nas estrelas. Trata-se de um gás nobre, ou seja, praticamente não reativo, incolor, inodoro e muito leve, frequentemente usado como isolante ou refrigerante em sua forma líquida.
  8. Cloro (Cl). O cloro em seu estado mais puro é um gás amarelado (Cl2), extremamente tóxico e com odor desagradável. Entretanto, é abundante na natureza e faz parte de várias substâncias orgânicas e inorgânicas, muitas das quais são indispensáveis à vida. Com o hidrogênio, forma o ácido clorídrico (HCl), um dos ácidos mais poderosos que existem.
  9. Iodo (I). É um elemento do grupo dos halogênios, pouco reativo e eletronegativo. Apesar disso, é empregado na medicina, nas artes fotográficas e como corante. Apesar de não ser um metal, apresenta características metálicas curiosas e é reativo com mercúrio e enxofre.
  10. Selênio (Se). É insolúvel em água e álcool, mas solúvel em éter e dissulfeto de carbono. Esse elemento possui propriedades fotoelétricas (converte luz em eletricidade) e é uma parte necessária para a fabricação de vidro. Além disso, é um nutriente para todas as formas de vida, indispensável para muitos aminoácidos e presente em diversos alimentos.

Continue com:

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ONDARSE ÁLVAREZ, Dianelys. Metais e não metais. Enciclopédia de Exemplos, 2024. Disponível em: https://www.ejemplos.co/br/metais-e-nao-metais/. Acesso em: 25 maio, 2024.

Sobre o autor

Autor: Dianelys Ondarse Álvarez

Licenciada em Radioquímica (Instituto Superior de Ciências e Tecnologias Aplicadas. Havana, Cuba). Doutora em Ciência e Tecnologia (Universidad Nacional de Quilmes, Buenos Aires, Argentina).

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS, Brasil), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur).

Data de publicação: 11 abril, 2024
Última edição: 6 maio, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)