Contribuições de Aristóteles

Aristóteles (384-322 a.C.) foi um filósofo grego, considerado um dos mais importantes pensadores do Ocidente. Suas ideias, reunidas em cerca de 200 tratados (dos quais apenas 31 são preservados), moldaram o pensamento ocidental durante mais de dois mil anos. Por exemplo: postulou o princípio de não contradição, propôs uma ética das virtudes.

Seus trabalhos abordaram diversos temas, tais como lógica, política, ética, física e retórica. Em todas estas áreas do saber, Aristóteles desempenhou um papel transformador, em alguns casos inclusive fundacional: seus estudos foram os primeiros estudos sistemáticos de lógica e de biologia na história.

Durante seus anos na Academia de Atenas, foi discípulo de outros filósofos importantes como Platão e Eudoxo. Ali, fundou o Liceu, lugar onde ensinou até a queda de Alexandre da Macedônia, também conhecido como Alexandre, o Grande. Depois da queda de Alexandre, foi morar na cidade de Cálcis, onde morreu no ano seguinte.

Obras de Aristóteles

As obras de Aristóteles que sobreviveram com o passar do tempo, reunidas no Corpus Aristotelicum, são um total de trinta e uma. De acordo com o interesse de cada uma, elas são divididas em:

  • Tratados de Lógica. Categorias da Interpretação, Primeiros e Segundos Analíticos, Tópicos e Refutações Sofísticas.
  • Tratados de física. Física, Sobre o Céu, Sobre a Geração e Corrupção, Parva Naturalia, Mecânica e outros.
  • Tratado de metafísica. Metafísica.
  • Tratados de ética e política. Ética Nicomaqueia, Ética Eudemia, Sobre as Virtudes e os Vícios, Política e outros.
  • Tratados de retórica e poética. Arte Retórica, Arte Poética e Retórica a Alexandre.

Exemplos das contribuições de Aristóteles

  1. Construiu um sistema filosófico próprio. Aristóteles se distinguiu de Platão, para quem o mundo era constituído de um plano sensível e de um inteligível, ao propor que o mundo não tivesse compartimentos. Criticou, assim, a “teoria das formas” platônica, que postulava que o mundo das ideias era o verdadeiro e que o mundo perceptível era um reflexo ou cópia deste. Para Aristóteles, as coisas são compostas de uma matéria e de uma forma, irremediavelmente juntas na essência da realidade, e sua verdade só pode ser alcançada empiricamente, ou seja, através da experiência.
  1. Foi o pai da lógica. Aristóteles realizou os primeiros estudos sobre os princípios de validade ou invalidade de um raciocínio, através da construção da categoria do silogismo (dedução). O silogismo é um mecanismo de inferência de conclusões a partir de um conjunto de premissas. Este sistema permite estudar o próprio mecanismo de raciocínio a partir da validade ou invalidade das premissas. Mantém-se vigente até hoje.
  1. Defendeu o princípio da não contradição. Aristóteles postulou o princípio da não contradição, que estipula que uma proposição e sua negação não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo e no mesmo sentido. Disto, resulta que qualquer raciocínio que implique uma contradição pode ser falso. Também estudou as falácias (raciocínios inválidos), das quais identificou e classificou treze tipos principais.
  1. Propôs uma divisão da filosofia. Aristóteles propôs dividir a filosofia em uma série de disciplinas: a lógica, que considerou uma disciplina preparatória; a filosofia teórica, integrada pela física, a matemática e a metafísica; e a filosofia prática, que é composta a partir da ética e da política.
  1. Propôs uma ética das virtudes. Aristóteles defendeu como primordiais as virtudes do espírito, ou seja, aquelas que tinham a ver com a razão humana, que se dividia em dois: o intelecto e a vontade. Através deles, o homem podia dominar sua parte irracional. Estes preceitos serviram a outras escolas filosóficas cuja divisão do homem (em um aspecto racional e irracional) encarnou em outras formas, como por exemplo a divisão cristã entre a alma e o corpo material.
  1. Expôs a teoria clássica das formas de governo. Aristóteles desenvolveu uma teoria que fundamenta grande parte do nosso atual sistema de classificações políticas. Propôs seis formas de governo, classificadas de acordo com a busca do bem comum e a quantidade de governantes existentes. Segundo Aristóteles, existem:
    Regimes que buscam o bem comum
    São governados por uma só pessoa: monarquia
    São governados por poucas pessoas: aristocracia
    São governados por muitas pessoas: democracia
    Regimes degradáveis a partir desses regimes
    São governados por uma só pessoa: tirania
    São governados por poucas pessoas: oligarquia
    São governados por muitas pessoas: demagogia
  1. Propôs um modelo astronômico geocêntrico. Aristóteles pensou a Terra como uma entidade fixa em torno da qual giravam os astros numa cúpula esférica. Este modelo permaneceu vigente ao longo dos séculos até que Nicolau Copérnico, no século XVI, introduziu um modelo que colocava o sol como centro do universo.
  1. Desenvolveu uma teoria física dos quatro elementos. Aristóteles propôs uma teoria física que partia da existência de cinco substâncias elementares: a água, a terra, o ar, o fogo e o éter. Designou a cada uma um movimento natural: a água e a terra para o centro do universo, o ar e o fogo para fora, e o éter ao redor do centro. Esta teoria permaneceu em vigor até a Revolução Científica dos séculos XVI e XVII.
  1. Postulou a teoria da geração espontânea. Aperfeiçoada por Jan Van Helmont no século XVII e finalmente retomada pelos estudos de Louis Pasteur, esta teoria propôs a criação da vida a partir de umidade, orvalho ou suor, graças a uma força geradora de vida a partir da matéria, que batizou como enteléquia.
  1. Criou as bases para a teoria literária. Aristóteles estudou as formas da linguagem e da poesia imitativa, superando a desconfiança de Platão para com os poetas (que os havia expulsado de sua República por considerá-los mentirosos). Lançou as bases de um estudo filosófico da estética e das artes literárias, que dividiu em três grandes gêneros:
  • Épico ou epopeia. Precursor da narrativa, conta com um mediador (narrador) que recorda ou relata os fatos e, portanto, encontra-se muito afastado da verdade dos acontecimentos.
  • Tragédia. Ao reproduzir os fatos e fazê-los acontecer diante do público, esta forma de representação é a mais elevada para Aristóteles e a que serve para melhores fins para a pólis, já que representa o homem melhor do que é, e também representa sua queda.
  • Comédia. Ao contrário da tragédia, representa os homens piores do que são. Os fragmentos de estudo da comédia na Poética de Aristóteles foram perdidos.

Continue com:

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ESPÍNOLA, Juan Pablo Segundo. Contribuições de Aristóteles. Enciclopédia de Exemplos, 2023. Disponível em: https://www.ejemplos.co/br/contribuicoes-de-aristoteles/. Acesso em: 12 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Juan Pablo Segundo Espínola

Licenciatura em Filosofia (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ).

Data de publicação: 29 junho, 2023
Última edição: 23 março, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)