20 Exemplos de
Argumentação

Uma argumentação é um texto oral ou escrito cuja finalidade é demonstrar, mediante raciocínios lógicos, a validade de um ponto de vista, de uma opinião ou de uma perspectiva, e, ao mesmo tempo, persuadir os interlocutores ou chamá-los à ação. Por exemplo: uma campanha política.

Geralmente, os argumentos são usados para abordar questões que apresentam alguma controvérsia, já que a ideia fundamental de uma argumentação é chegar a um consenso através do entendimento.

Deste modo, a argumentação é uma prática habitual nos campos onde se confrontam ideias, como o científico, o acadêmico, o político ou o jurídico. Assim, podemos encontrar argumentações com diferentes graus de complexidade em diferentes situações:

  • Situações da vida cotidiana: uma conversa, uma entrevista de emprego, uma discussão em que queremos convencer outra pessoa de algo.
  • Situações de caráter social: um anúncio publicitário, um artigo de opinião, um debate, um panfleto político, um manifesto.
  • Situações técnicas ou acadêmicas: uma alegação judicial, um tratado científico, uma defesa de tese.

Lembre-se: Os argumentos diferem das opiniões. Além de serem fundadas ou infundadas, as opiniões nascem de uma apreciação pessoal sobre algum tema, enquanto os argumentos se fundamentam em um modelo lógico de raciocínio. Então, uma argumentação pode envolver opiniões, mas estas devem ser sustentadas de maneira lógica e verificável.

Elementos da argumentação

Uma argumentação geralmente compreende os seguintes elementos:

  • Tese. Trata-se da postura que se sustentará ao longo da argumentação. Normalmente aparece no início do texto, mas também pode estar no final, a título de conclusão.
  • Premissas. Trata-se de um conjunto de informações e observações prévias consideradas verdadeiras, sobre as quais se sustenta o argumento e a partir do qual se infere a tese.
  • Argumentos. Trata-se de raciocínios lógicos e demonstráveis que ligam as premissas com a tese. Um argumento válido é aquele em que a conclusão se depreende das premissas.
  • Contra-argumentos. Trata-se de argumentos que poderiam opor-se a qualquer aspecto da tese ou do argumento e que podem ser mencionados para antecipar eventuais réplicas.
  • Conclusões. Trata-se da síntese a que conduzem os argumentos, que resume o ponto de vista adotado no texto. As conclusões devem ser coerentes com o acima exposto.

Exemplos de argumentação

  1. Um debate parlamentar. Para chegar à promulgação de uma lei, costuma haver previamente debates entre senadores e deputados de diversos partidos políticos. Ali, cada bloco deve argumentar a favor ou contra da lei em questão, a fim de chegar à aprovação ou à rejeição do projeto que se discute. Trata-se de uma prática fundamental para a vida democrática.
  1. Uma propaganda contra o cigarro. Os maços de cigarros contêm mensagens alertando sobre os possíveis danos à saúde que produz o seu consumo, e são acompanhados de fotografias explícitas ou sugestivas que complementam com um impacto visual e emocional as advertências médicas. Esta argumentação visa persuadir o consumidor a abandonar o hábito de fumar.
  1. Uma campanha eleitoral. Durante as campanhas eleitorais para os cargos públicos (como a da presidência de um país, por exemplo), os adversários costumam realizar discursos e debates públicos nos quais tentam convencer a maioria da população das suas ideias em relação à economia, ao plano social, ao político e ganhar assim seu favor (e com isso seu voto). Para isso, devem argumentar seu ponto de vista e defendê-lo, a partir das perguntas dos jornalistas e de seus oponentes.
  1. Um debate escolar. Quando na escola se organiza um debate e se opõem dois ou mais grupos de estudantes em torno de um tema de discussão, os debatedores usam a argumentação e diversos raciocínios para defender sua posição e contestar a do outro, com o objetivo de ganhar o debate.
  1. Uma disputa judicial. Os juízes e os tribunais têm o papel de avaliar os argumentos das partes envolvidas em um litígio ou disputa e chegar a um acordo entre eles. Para isto, ambas as partes contam com advogados, cujo papel é argumentar a favor de seu cliente e assim tentar demonstrar a validade de sua perspectiva acima da de seu oponente.
  1. Um anúncio publicitário. A maioria dos anúncios publicitários apoiam a promoção de um produto em promessas e procedimentos do tipo emocional, mas também utilizam frequentemente a argumentação, na medida em que explicam aos consumidores, de uma forma mais ou menos convincente, por que deveriam preferir o seu produto e não o da concorrência. Razões como o preço, a qualidade e outros argumentos podem fazer parte deste tipo de discurso.
  1. Uma pechincha. A pechincha é a oferta e a contraoferta de preços por um produto ou bem oferecido, que se dá entre o vendedor e um possível comprador. Neste caso, argumentam por que razão deveriam pagar mais ou menos do preço acordado por um produto, com o objetivo de persuadir a outra parte a aceitar as suas condições de tratamento.
  1. Uma defesa de tese. No âmbito acadêmico, os doutorandos e mestrandos devem defender seu projeto de pesquisa das possíveis objeções da banca, que pode chegar a questionar seus métodos ou apresentar dúvidas para que demonstrem os conhecimentos em uma área.
  1. Uma solicitação de ingresso a uma universidade. Os candidatos a determinadas pós-graduações, mestrados ou doutorados devem preparar um texto no qual expõem as razões pelas quais acreditam que têm o perfil para serem aceitos na universidade. Podem argumentar levando em consideração informações como a sua educação acadêmica, sua formação profissional, suas habilidades, entre outras coisas.
  1. Uma solicitação de financiamento. Se o dono de um empreendimento comercial está procurando investidores para seu negócio, deverá argumentar e demonstrar que seu projeto é uma boa ideia, que é rentável e que as porcentagens de sucesso são altas.

Recursos argumentativos

Alguns recursos que podem ser utilizados em uma argumentação são:

  • Citações textuais. São citadas palavras de outra pessoa para reforçar o seu próprio argumento, seja por semelhança ou contraste. Por exemplo: Neste trabalho, entendemos o conceito de “paradigma” nos mesmos termos que Leonard (2011), como um “conjunto dominante de supostos, valores e ideias que constituem o modo em que uma sociedade vê a realidade” (p. 32).
  • Paráfrases e reformulações. Toma-se um pensamento, conceito ou dado, tanto do próprio texto como de um discurso alheio, e é expressado com outras palavras. Por exemplo: quando alguém usa a frase “A cavalo dado não se olha os dentes”, significa que não devemos criticar aquilo que recebemos gratuitamente.
  • Descrições. São detalhadas e explicadas as características de um lugar, pessoa, animal, coisa ou situação. Por exemplo: A casa é ampla e luminosa, composta por cinco ambientes no total; tem um jardim ao fundo com piscina e todas as comodidades necessárias para uma família numerosa.
  • Exemplos. Uma afirmação geral é ilustrada através da exposição de um ou mais casos particulares, a fim de esclarecer algum fenômeno ou processo. Por exemplo: Nem todos os vizinhos do edifício são pouco amigáveis; por exemplo: João, o homem que vive no quinto andar, sempre sorri quando cumprimenta.
  • Abstrações e generalizações. Distinguem-se características comuns a um grupo de elementos e são agrupados dentro de um conceito ou ideia geral. Por exemplo: Quase todas as pessoas sofrem de calor quando a temperatura ultrapassa os 40°, não conheço ninguém que desfrute desse clima.
  • Enumerações. Somam-se ou acumulam-se elementos para sustentar um ponto de vista ou reforçar uma ideia. Por exemplo: Esse restaurante já deveria ter sido fechado há muito tempo: não tem os documentos em dia, a saída de emergência está obstruída, a ventilação não é suficiente e a higiene deixa muito a desejar.
  • Analogias. Vinculam-se dois elementos ou situações a partir de uma relação de semelhança, com o objetivo de persuadir ou tornar o tema mais afim ao receptor. Por exemplo: Vamos ver o novo filme do Tarantino; o anterior é excelente, então certamente este também é.
  • Apelo à emoção. Os argumentos não só podem ser racionais, mas também existem aqueles que apelam à emoção, a fim de gerar empatia ou certa predisposição no receptor. Por exemplo: Esperamos suas doações, as crianças da nossa instituição ficarão agradecidas.
  • Prolepse. Mencionam-se argumentos contrários à tese que se sustenta ou possíveis objeções, de modo a se antecipar e refutá-los. Por exemplo: Muitos poderão dizer que é impossível viver só da energia solar, mas os dados comprovam que é algo completamente viável.
  • Esquemas visuais. Apresenta-se a estrutura global de um tema e os diferentes elementos vinculados a este através de organizadores gráficos, de modo que a informação se transmite de uma maneira visual. Por exemplo: os mapas conceituais, os quadros sinópticos, os mapas mentais.

Para considerar: Além destes elementos, em uma argumentação também podem ser encontrados recursos próprios dos textos expositivos, que proporcionam ao leitor informação pertinente e recursos retóricos, que são ferramentas formais que potenciam a recepção do texto.

Tipos de argumentos

Existem diferentes tipos de argumentos, vamos ver os principais:

Tipo de argumentoDefiniçãoExemplo
Argumento de autoridade   Um especialista ou autoridade sobre o assunto é citado para apoiar ou validar a posição do remetente.Como defende o presidente da Associação de Pediatria, ser empático, carinhoso e dedicado com os pacientes é uma parte fundamental do trabalho.
Argumento por evidênciaBaseiam-se em evidências que levam a admitir uma tese ou conclusão.  De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílio (PNAD) de 2008, o telefone, a televisão e o computador estão entre os bens de consumo mais adquiridos pelas famílias brasileiras. Esses dados mostram que boa parte desses bens de consumo está ligada ao desejo de se comunicar.
Argumento por comparação (analogia)Recorrem a critérios de comparação relacionando duas situações ou fatos, observando suas diferenças e semelhanças.A quebra de sigilo nas provas do Enem 2009, denunciada pela imprensa, nos faz indagar quem seriam os responsáveis. O sigilo de uma prova do Enem deve pertencer ao âmbito das autoridades educacionais – e não da imprensa. Assim como a imprensa é responsável por seus próprios sigilos, as autoridades educacionais devem ser responsáveis pelo sigilo do Enem.
Argumento por exemplificaçãoPor meio de exemplos concretos confirmam uma tese defendida.  Vejam os exemplos de muitas experiências positivas – Jundiaí (SP), Campinas (SP), São Caetano do Sul (SP), Campina Grande (PB) etc. – sistematicamente ignoradas pela grande imprensa.
Argumento probalísticoBaseiam-se na probabilidade de ocorrência de um evento para defender uma ideia.É provável que a farmácia esteja fechada ao meio dia, pois metade dos comércios do bairro fecham a essa hora.    
Argumento moralSão sustentados por valores morais universais, como justiça, igualdade, respeito, tolerância, entre outros.Você disse que os ateus são pessoas com moral. No entanto, eu sei que você abandonou a sua esposa e os seus filhos.

Mais exemplos de argumentação

  1. Texto argumentativo sobre os jogos de vídeo.
  2. Texto argumentativo sobre os direitos humanos.
  3. Artigo de opinião sobre o meio ambiente.
  4. Artigo de opinião sobre maus-tratos a animais.
  5. Artigo de opinião sobre os animais em perigo de extinção.
  6. Artigo de opinião sobre as redes sociais.
  7. Artigo de opinião sobre a igualdade de gênero.
  8. Artigo de opinião sobre as aulas virtuais.
  9. Artigo de opinião sobre a poluição.
  10. Artigo de opinião sobre o COVID-19.

Continue com:

Como citar?

Citar la fuente original de donde tomamos información sirve para dar crédito a los autores correspondientes y evitar incurrir en plagio. Además, permite a los lectores acceder a las fuentes originales utilizadas en un texto para verificar o ampliar información en caso de que lo necesiten.

Para citar de manera adecuada, recomendamos hacerlo según las normas APA, que es una forma estandarizada internacionalmente y utilizada por instituciones académicas y de investigación de primer nivel.

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ZAMBRA, Cristina. Argumentação. Enciclopédia de Exemplos, 2023. Disponível em: https://www.ejemplos.co/br/argumentacao/. Acesso em: 7 junho, 2024.

Sobre o autor

Autor: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ).

Revisado por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS, Brasil), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur).

Data de publicação: 29 junho, 2023
Última edição: 20 março, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)