Principais ideias do Iluminismo

O Iluminismo foi um movimento intelectual e cultural europeu que teve origem na metade do século XVII, principalmente na França, Alemanha e Inglaterra. Em alguns casos, continuou até o século XIX.

Seu nome deriva da fé de seus promotores de que a razão e o progresso eram as forças que deveriam iluminar a vida humana. Por esse motivo, o século XVIII, no qual o Iluminismo floresceu, é conhecido como o “Século das Luzes”.

O Iluminismo, como um movimento, buscou promover a soberania da razão, a busca da felicidade, a liberdade, a igualdade, a tolerância e a fraternidade em prol do progresso humanístico e livre. Este espírito deixou sua marca na política, na ciência, na economia, nas artes e na sociedade europeia da época, e abriu caminho entre a burguesia e a aristocracia.

As ideias do Iluminismo

As ideias características do Iluminismo podem ser exemplificadas nos seguintes pontos:

  1. Antropocentrismo. Como no Renascimento, o centro das atenções se voltou para o homem em vez de Deus. O ser humano tornou-se o organizador de seu destino, o que se traduziu em uma ordem laica, na qual o homem podia aprender o que era necessário para viver melhor. Com isso, surgiu a noção de progresso.
  2. Racionalismo. Com uma fé renovada na razão, abandonou-se progressivamente a fé e a superstição como formas de explicar o mundo.
  3. Hipercriticismo. O Iluminismo empreendeu a revisão e a reinterpretação do passado, resultando em um certo reformismo político e social e, consequentemente, no surgimento de utopias políticas. Exemplos disso foram as obras de Rousseau e Montesquieu, fundamentais para a formulação teórica de sociedades mais igualitárias e fraternas.
  4. Pragmatismo. Um certo critério de utilitarismo foi imposto ao pensamento, que favorecia aquilo que se destinava a transformar a sociedade. Certos gêneros literários, como o romance, entraram em crise e impôs-se o ensaio, os romances de aprendizagem e as sátiras, comédias ou enciclopédias.
  5. Imitação. A fé na razão e na análise levou a pensar na originalidade como um defeito (especialmente no neoclassicismo francês, que era extremamente restritivo) e a pensar que era possível obter obras de arte simplesmente deduzindo e reproduzindo a receita constitutiva do passado. Nesse cenário estético, privilegiou-se o bom gosto em detrimento do feio, do grotesco e do imperfeito.
  6. Elitismo. Um certo elitismo neste modelo de pensamento rejeitava o vulgar. Em matéria de linguagem, privilegiava-se a fala culta e perseguia-se o purismo.
  7. Universalismo. Contrariamente aos valores nacionais e tradicionais, posteriormente exaltados pelo Romantismo, o Iluminismo se declarou cosmopolita e assumiu uma certa relatividade cultural. Os livros de viagem e o exótico foram promovidos como fonte do humano e do universal. Desta forma, a tradição greco-romana também foi imposta, pois era considerada “a mais universal” de todas as existentes.

Importância do Iluminismo

O Iluminismo foi um movimento decisivo na história do pensamento ocidental, pois rompeu com os preceitos tradicionais forjados durante a Idade Média, substituindo assim a religião, a monarquia feudal e a fé pela razão científica, a democracia burguesa, o laicismo e a secularização (o poder passa para as autoridades civis).

Neste sentido, lançou as bases para o mundo contemporâneo e para o surgimento da Modernidade. A ciência como discurso norteador do mundo passou a ser central, como evidenciado pelo surgimento da enciclopédia, pelo repentino desenvolvimento da física, da óptica e da matemática, ou pela aparição nas artes plásticas de um neoclassicismo greco-romano.

Paradoxalmente, esses fundamentos deram origem ao surgimento posterior do romantismo alemão, que se opôs ao modelo racionalista e à emocionalidade desenfreada do poeta como o valor supremo do humano e do artístico.

Por outro lado, o Iluminismo assistiu à ascensão da burguesia como a nova classe social dominante, que se acentuou ao longo do século seguinte, relegando a aristocracia a um papel secundário. Com isto, começaram a aparecer as constituições e o Liberalismo, seguidos do contrato social (Jean Jacques Rousseau), do socialismo utópico e da economia política, com Adam Smith e seu texto A riqueza das nações (1776).

O mapeamento do mundo se tornou um objetivo importante, pois o mundo obscuro e secreto da Idade Média religiosa se tornou o mundo conhecido da razão. De fato, também se deve ao pensamento iluminista as primeiras tentativas de higienização e o desenvolvimento da medicina como um discurso socialmente importante.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ESPÍNOLA, Juan Pablo Segundo. Principais ideias do Iluminismo. Enciclopédia de Exemplos, 2024. Disponível em: https://www.ejemplos.co/br/principais-ideias-do-iluminismo/. Acesso em: 26 maio, 2024.

Sobre o autor

Autor: Juan Pablo Segundo Espínola

Licenciatura em Filosofia (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS, Brasil), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur).

Data de publicação: 8 abril, 2024
Última edição: 12 abril, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)