20 Exemplos de
Glicídios (e sua função)

Os glicídios, também conhecidos como sacarídeos, carboidratos ou hidratos de carbono, são biomoléculas formadas por carbono (C), hidrogênio (H) e oxigênio (O), embora possam também conter enxofre, nitrogênio e fósforo. São exemplos de glicídios a glicose, a ribose e a frutose.

Estas biomoléculas são a principal fonte de energia das células nos organismos que não realizam fotossíntese, como os animais. Eles também têm uma função estrutural, por exemplo, a parede celular das plantas contém celulose (que é um glicídio).

As ligações químicas dos glicídios armazenam muita energia, que é liberada quando estes compostos são oxidados. Além disso, são ligações que não podem ser quebradas facilmente.

Atenção: Deve-se esclarecer que, o termo carboidrato ou hidrato de carbono não é completamente correto, pois estes compostos químicos não são formados por átomos de carbono hidratados, ou seja, ligados a moléculas de água.

Tipos de glicídios

De acordo com a quantidade de monômeros (moléculas de pequena massa molecular que constituem a unidade de formação dos polímeros) que os formam, os glicídios se classificam em:

  • Monossacarídeos. São moléculas formadas por uma única unidade de glicídio, por isso que não podem ser hidrolisadas (a hidrólise é a reação de uma molécula com a água) a glicídios mais simples. Por exemplo: glicose, frutose e manose.
  • Dissacarídeos. São moléculas constituídas por duas unidades de monossacarídeos, por isso que quando hidrolisados (reagem com a água) são transformados em dois monossacarídeos. Por exemplo: sacarose (constituída por glicose e frutose) e lactose (constituída por glicose e galactose).
  • Oligossacarídeos. São moléculas formadas por entre três e dez unidades de monossacarídeos. Quando um oligossacarídeo se hidrolisa, transforma-se na quantidade de monossacarídeos que o formam. Os oligossacarídeos costumam estar ligados a lipídios e proteínas formando glicolipídios e glicoproteínas. Por exemplo: estaquiose (constituída por uma molécula de glicose, uma de frutose e duas de galactose).
  • Polissacarídeos. São moléculas formadas por mais de dez monossacarídeos. Desempenham funções de estrutura e armazenamento nos diferentes organismos vivos. Por exemplo: a celulose (formada por muitas moléculas de glicose lineares) e o amido (formado por muitas moléculas de glicose ramificadas).

Exemplos de glicídios e sua função

glucidos en los carbohidratos
O amido é a reserva de energia dos vegetais.
  1. Glicose. É um monossacarídeo formado por seis átomos de carbono. É o composto mais abundante da natureza. Além disso, é a principal fonte de energia das células, pois a oxidação da glicose libera grande quantidade de energia. Por outro lado, esta molécula faz parte da estrutura de muitos organismos.
  2. Ribose. É um monossacarídeo formado por cinco átomos de carbono. Faz parte das unidades básicas de construção de substâncias como o ATP (adenosina trifosfato) e o RNA (ácido ribonucleico), o que a torna uma molécula essencial para a vida dos organismos vivos.
  3. Desoxirribose. É um monossacarídeo formado por cinco átomos de carbono igual à ribose, mas que foi substituído por um grupo hidroxilo através de um átomo de hidrogênio, o que a converte em um desoxiaçúcar (um monossacarídeo que foi substituído por um grupo hidroxilo através de um átomo de carbono). Na sua forma cíclica, a desoxirribose faz parte do ácido desoxirribonucleico (DNA).
  4. Frutose. É um monossacarídeo formado por seis átomos de carbono, que fornece a mesma quantidade de calorias que a glicose. Está presente em frutas e vegetais. Tem a mesma fórmula molecular que a glicose, mas diferente estrutura.
  5. Gliceraldeído. É um monossacarídeo formado por três átomos de carbono. É o primeiro monossacarídeo obtido por fotossíntese durante a fase escura, além disso, é um passo intermediário em numerosas rotas de metabolismo do açúcar.
  6. Galactose. É um monossacarídeo formado por seis átomos de carbono. Este açúcar simples é convertido em glicose no fígado, por isso fornece energia aos organismos vivos. Além disso, a glicose e a galactose formam a lactose do leite.
  7. Glicogênio. É um polissacarídeo formado por monômeros de glicose dispostos de forma ramificada. Armazena-se no fígado e nos músculos dos organismos vertebrados como reserva energética. É insolúvel em água e forma dispersões coloidais.
  8. Lactose. É um dissacarídeo formado por um monômero de glicose e outro de galactose. É o açúcar básico do leite e dos fermentos lácteos (queijo, iogurte).
  9. Eritrose. É um monossacarídeo formado por quatro átomos de carbono. Faz parte do processo fotossintético e existe na natureza como D-eritrose. É um açúcar solúvel em água e de aparência doce e suave.
  10. Celulose. É um polissacarídeo formado por monômeros de glicose dispostos de forma linear. A celulose é o biopolímero (macromolécula que faz parte dos seres vivos) mais abundante da crosta terrestre. Compõe as fibras das paredes celulares das plantas, o que lhes dá suporte. Por outro lado, é a matéria-prima do papel.
  1. Amido. É um polissacarídeo formado por polímeros de amilose e amilopectina. Assim como o glicogênio é reserva energética dos animais, o amido ou fécula o é para os vegetais.
  2. Quitina. É um polissacarídeo formado por unidades de N-acetilglucosamina. Está presente nas paredes celulares dos fungos e no exoesqueleto dos artrópodes. É o segundo polissacarídeo mais abundante na crosta terrestre, depois da glicose.
  3. Fucose. É um monossacarídeo formado por seis átomos de carbono, que se distingue do resto dos monossacarídeos deste tipo em que não tem grupo hidroxilo no átomo de carbono número seis. Está presente nas células de insetos, mamíferos e plantas.
  4. Ramnose. É um monossacarídeo formado por seis átomos de carbono, que tem grupo metilo. Esta molécula foi extraída pela primeira vez da planta Rhamnus frangula, da qual surge o seu nome. Faz parte da pectina e outros polímeros das plantas, bem como de microrganismos como as micobactérias.
  5. Glicosamina. É um monossacarídeo formado por seis átomos de carbono que contém um grupo amino. É utilizado como suplemento dietético no tratamento de doenças reumáticas e está presente nas paredes celulares dos fungos e no exoesqueleto dos artrópodes.
  6. Sacarose. É um dissacarídeo formado por um monômero de glicose e outro de frutose. Também é conhecido como açúcar comum e é encontrado abundantemente na natureza (mel, milho, cana-de-açúcar, beterraba).
  7. Estaquiose. É um tetrassacarídeo formado por uma molécula de glicose, uma de frutose e duas de galactose. Está presente em muitos vegetais e plantas, e os seres humanos não podem digeri-la completamente.
  8. Celobiose. É um dissacarídeo formado por dois monômeros de glicose, que aparece durante a hidrólise da celulose.
  9. Maltose. É um dissacarídeo formado por dois monômeros de glicose. É obtido a partir de grãos germinados de cevada ou por hidrólise de amido e glicogênio.
  10. Psicose. É um monossacarídeo formado por seis átomos de carbono. É pouco abundante na natureza e pode se isolar do antibiótico psicofuranino. Fornece menos energia do que a sacarose (0,3%), por isso que é investigada como substituto dietético no tratamento de doenças glicêmicas e lipídicas.

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ONDARSE ÁLVAREZ, Dianelys. Glicídios (e sua função). Enciclopédia de Exemplos, 2024. Disponível em: https://www.ejemplos.co/br/glicidios-e-sua-funcao/. Acesso em: 26 maio, 2024.

Sobre o autor

Autor: Dianelys Ondarse Álvarez

Licenciada em Radioquímica (Instituto Superior de Ciências e Tecnologias Aplicadas. Havana, Cuba). Doutora em Ciência e Tecnologia (Universidad Nacional de Quilmes, Buenos Aires, Argentina).

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ).

Data de publicação: 9 abril, 2024
Última edição: 25 maio, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)