Exemplos de
Texto narrativo

Um texto narrativo é um texto que relata eventos reais ou imaginários nos quais um ou mais personagens são os protagonistas, ocorrendo em um espaço e tempo específicos. Por exemplo: um romance, um filme, uma piada, uma história.

Os textos narrativos podem ser orais ou escritos e são uma parte essencial de nossa comunicação diária, uma vez que os usamos sempre que contamos a alguém uma situação específica, tal como uma história ou uma viagem.

São também um recurso fundamental na literatura, pois permitem a criação de histórias fictícias e também no campo do jornalismo, onde são encontradas em gêneros como notícias ou reportagens. O discurso histórico também utiliza textos narrativos, pois eles servem para organizar uma sucessão de ações seguindo uma cronologia.

A estrutura do texto narrativo

Os textos narrativos geralmente têm a seguinte estrutura interna:

  • Apresentação. A história e as primeiras ações são apresentadas, assim como o conflito que desencadeará uma série de eventos. Por exemplo:

Chapeuzinho Vermelho era uma menina que morava na floresta. Um dia, sua mãe lhe pediu para ir e levar comida para sua vovozinha porque ela estava doente.

  • Desenvolvimento ou nó. É a parte mais complexa da história, onde os principais eventos acontecem. Por exemplo:

No caminho, a Chapeuzinho Vermelho encontra o lobo, que a engana para chegar primeiro à casa de sua avó e a devora.

  • Clímax. Está dentro do desenvolvimento. É o momento de maior tensão. Por exemplo:

Lá, ele espera pela Chapeuzinho Vermelho disfarçado de vovó, com a intenção de comê-la também.

  • Desfecho. Aqui o conflito proposto é resolvido. É o momento em que termina a história. Por exemplo:

Quando a Chapeuzinho chega a casa da vovó, lá está o lobo esperando por ela. Quando ele está prestes a devorá-la também, um caçador que anda pelo lugar mata o lobo e resgata as duas.

Elementos do texto narrativo

Os textos narrativos geralmente têm os seguintes elementos:

  • Narrador ou foco narrativo. É o ponto de vista a partir do qual os eventos são contados. O narrador pode ser protagonista, observador ou onisciente, e contar a história em primeira, segunda ou terceira pessoa.
  • Enredo. São as ações, conteúdos ou eventos contados para a construção da história. Estes eventos contados podem ser reais ou fictícios, e acontecem em um espaço e tempo específicos; este tempo pode ser cronológico ou psicológico. Dentro do enredo há um conflito.
  • Personagens. São eles que levam a ação adiante, e podem ser principais/protagonistas ou secundários, dependendo de sua relevância no desenvolvimento da história.
  • Intenção. O que é dito tem um propósito específico, que, dependendo do gênero, pode ser contar uma história, entreter o leitor, dar uma lição ou informar sobre um evento, entre outras possibilidades.
  • Estrutura. Além da estrutura interna (introdução, desenvolvimento e desfecho), os textos narrativos têm uma estrutura externa, dependendo do gênero. Pode incluir capítulos, atos, seções, partes ou volumes, entre outros.

Tipos de textos narrativos

Há vários tipos de textos narrativos literários, entre eles:

  • Conto. É uma narrativa curta, com poucas personagens e uma única trama central que leva rapidamente a um desfecho. Por exemplo: O Gato de Botas, de Charles Perrault.
  • Romance. É uma história escrita em prosa, geralmente longa, que tem um desenvolvimento com certa complexidade e um número variado de personagens. Por exemplo: Cem anos de Solidão, de Gabriel García Márquez.
  • Mito. É uma história fantástica de tradição oral ou escrita que idealiza e explica a origem do mundo, eventos extraordinários ou históricos relacionados a deuses e/ou seres sobrenaturais. Por exemplo: o mito de Rômulo e Remo.
  • Fábula. Trata-se de uma pequena história, geralmente estrelada por animais personificados. Contém um ensinamento final chamado moral e se destina a transmitir a moral de uma sociedade. Por exemplo: a fábula da lebre e a tartaruga.
  • Epopeia. Trata-se de um relato das façanhas de um herói, da glória de um povo ou de um evento memorável, cujo narrador está fora dos fatos e busca objetividade. Por exemplo: Os Lusíadas, de Camões.
  • Canções de gesta. É uma forma épica de narrativa que destaca as façanhas dos cavaleiros na Idade Média. São chamados de cânticos porque foram transmitidos por trovadores que recitaram estas histórias nos séculos XI e XII. Por exemplo: O Cantar de Mio Cid.
  • Parábola. Esta narrativa é mais curta do que a fábula, mas também procura transmitir um ensinamento moral, e neste caso o faz através do uso de analogia ou simbolismo. Por exemplo: a parábola do filho pródigo.
  • Lenda. É uma narrativa que combina eventos sobrenaturais e reais, que é transmitida de geração em geração e forma parte de uma determinada cultura. Por exemplo: a lenda do Saci-pererê.

Além disso, há textos narrativos de natureza não literária, entre eles:

  • Biografia. É um relato escrito em terceira pessoa sobre a vida de uma personagem e seus momentos mais importantes. Por exemplo: Frida Kahlo. Uma biografia, de María Hesse.
  • Crônica. É um texto que respeita a ordem temporal dos acontecimentos com o objetivo de contar uma história verdadeira, e às vezes permite o uso de recursos literários. Por exemplo: a crônica de um roubo.
  • Notícia. É um gênero jornalístico que reporta de forma breve e concisa um evento real e atual com uma função informativa. Por exemplo: uma notícia sobre as eleições presidenciais no Brasil.
  • Reportagem. Trata-se de uma investigação jornalística de certa duração, na qual um evento ou série de eventos de natureza jornalística são reconstruídos. Por exemplo: uma reportagem sobre o bullying.

Alguns exemplos de textos narrativos

  1. Conto

Houve um tempo em que eu costumava pensar muito em axolote. Ia vê-los no aquário do Jardim das Plantas e passava horas olhando para eles, observando sua imobilidade, seus sombrios movimentos. Agora eu sou um axolote.

O acaso me levou até eles numa manhã de primavera quando Paris abriu sua cauda de pavão após uma lenta invernada. Desci pelo Boulevard Port-Royal, peguei Saint Marcel e l’Hôpital, vi os verdes em meio a todos os cinzas e lembrei-me dos leões. Eu era amigo de leões e panteras, mas nunca havia entrado no edifício escuro e úmido dos aquários. Deixei a minha bicicleta junto às grades e fui ver as tulipas. Os leões estavam feios e tristes e a minha pantera dormia. Optei pelos aquários, contornei os peixes vulgares até que inesperadamente me deparei com os axolotes. Fiquei por uma hora olhando para eles e saí, incapaz de qualquer outra coisa.

Início de Axolote, de Julio Cortázar (Tradução Etecé)

  1. Romance

Alice já estava cansada de ficar sentada no banco sem nada para fazer. Por uma ou duas vezes ela xeretou o livro que a irmã lia a seu lado, mas nele não havia figuras nem diálogos. “Para que serve um livro sem figuras nem diálogos?”, Alice pensou.

Ela considerava o tanto quanto podia (afinal, o dia quente a deixava zonza e sonolenta) se o prazer de montar uma guirlanda de margaridas valeria o esforço de se levantar para colhê-las. Foi quando, de repente, um Coelho Branco de olhos cor-de-rosa passou correndo perto dela.

Início de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll (Edição Bilíngue). https//santatereza.go.gov.br

  1. Lenda

O Negrinho do Pastoreio

Naquele tempo os campos ainda eram abertos, não havia entre eles nem divisas nem cercas; somente numas volteadas se apanhava uma gadaria chucra e os veados e as avestruzes corriam sem empecilhos… Era uma vez um estancieiro, que tinha uma ponta de surrões cheios de onças e meias doblas e mais muita prataria; porém era muito cauíla e muito mau, muito. Não dava posada a ninguém, não emprestava um cavalo a um andante; no inverno o fogo de sua casa não fazia brasas, as geadas e o minuano, podiam entanguir gente, que a sua porta não se abria; no verão a sombra dos seus umbus só abrigava os cachorros; e ninguém de fora bebia água das suas cacimbas.

[…]

Só para três viventes ele olhava nos olhos: era para o filho, menino cargoso como uma mosca, para um baio de cabos negros, que era o seu parelheiro de confiança, e para um escravo, pequeno ainda, muito bonitinho e preto como carvão e a quem todos chamavam somente o — Negrinho.

Início da lenda O Negrinho do Pastoreio, de Simões Lopes Neto.

  1. Mito

Teseu e o Minotauro (Mito Grego)

O Minotauro era um ser monstruoso em um labirinto na ilha de Creta que se alimentava de humanos. Teseu se apresentou em Creta para dizer a Minos, o rei deste lugar, que ele poderia matar o monstro.

Ariadne, filha de Minos, se apaixonou por Teseu e decidiu ajudá-lo: deu-lhe um novelo de lã mágica para que ele pudesse amarrá-la na entrada do labirinto, matar o monstro e logo sair. Teseu cumpriu a sua missão e mais tarde se casou com Ariadne.

  1. Fábula

Pedro e o lobo

Pedro costumava se divertir zombando de seus vizinhos: gritava que havia um lobo e quando todos iam ajudá-lo, ele ria e lhes dizia que era mentira. Um dia, um lobo realmente apareceu e quis atacar seu rebanho. O problema foi que quando Pedro começou a pedir ajuda, ninguém acreditou nele, então o lobo acabou comendo todas as suas ovelhas.

Moral da história: Não devemos mentir, senão ninguém vai acreditar em nós quando falarmos a verdade.

  1. Crônica

Assalto à luz do dia em uma concessionária de automóveis

Em 12 de julho passado, quatro criminosos invadiram uma concessionária de automóveis e roubaram uma grande soma de dinheiro.

Naquela quarta-feira, a concessionária abriu às 8h da manhã, como faz todos os dias. Minutos depois, quatro indivíduos entraram no local encapuzados e portando armas de fogo.

Em questão de minutos, conseguiram reduzir o gerente de segurança e o resto dos funcionários, que foram forçados a jogar-se no piso.

Os assaltantes fugiram com uma grande soma de dinheiro, pois sabiam como burlar a segurança dos caixas onde a concessionária mantinha o dinheiro guardado.

Os assaltantes fugiram e a polícia chegou ao local minutos depois, alertada por vizinhos que ouviram gritos e golpes. Os investigadores disseram ter pistas sólidas para rastrear a quadrilha, mas ainda não podem revelar mais informações.

Continue com:

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

KILLMANN, Márcia. Texto narrativo. Enciclopédia de Exemplos, 2023. Disponível em: https://www.ejemplos.co/br/texto-narrativo/. Acesso em: 26 fevereiro, 2024.

Sobre o autor

Autor: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS, Brasil), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur).

Revisado por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ).

Data de publicação: 29 junho, 2023
Última edição: 4 agosto, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)