20 Exemplos de
Óxidos básicos

Os óxidos básicos, também conhecidos como óxidos metálicos, são aqueles que combinam oxigênio com um elemento metálico. Visto que o oxigênio é altamente eletronegativo e os metais são eletropositivos, a ligação estabelecida é iônica. Por exemplo: trióxido de dialumínio (Al2O3), óxido permangânico (Mn2O7), óxido de zinco (ZnO).

A fórmula geral que representa todos os óxidos básicos é XO, em que X é o elemento metálico e O é o oxigênio. Cada um desses átomos pode ser acompanhado por números subscritos (geralmente 2 ou 3), que aparecem pela troca das valências (ou seja, a do metal com a do oxigênio). A valência do oxigênio quando ele faz parte dos óxidos é quase sempre -2.

Nomenclatura dos óxidos básicos

Nomenclatura tradicional

Denomina-se os óxidos básicos mencionando-se primeiro o termo “óxido de” e, em seguida, o nome do elemento metálico, ou “óxido” seguido de um adjetivo (que é o nome do elemento metálico com diferentes terminações), como observa-se a seguir:

  • Para metais com apenas um tipo de valência, como sódio (1+) ou cálcio (2+), a parte do metal é construída como uma palavra proparoxítona com a terminação “ico”. Por exemplo: óxido sódico: Na2O / óxido cálcico: CaO.
  • Nos metais que apresentam duas valências, como o cobre (1+ e 2+) ou o mercúrio (1+ e 2+), se o óxido envolver a valência mais baixa do metal, o sufixo “oso” será adicionado ao nome do metal e será uma palavra paroxítona. Se envolver a valência mais alta, o sufixo “ico” será adicionado ao nome do metal e será uma palavra proparoxítona. Por exemplo: óxido cuproso: Cu2O / óxido cúprico: CuO / óxido mercurioso: Hg2O / óxido mercúrico: HgO.
  • Quando há três valências possíveis, como a do cromo (2+, 3+, 6+), se o óxido envolver a valência mais baixa, o nome do metal é prefixado com “hipo” e o sufixo “oso”, e trata-se de uma palavra paroxítona. Quando envolve a valência intermediária, o metal é nomeado com a terminação “oso” e continua sendo uma palavra paroxítona, mas se envolver a valência mais alta, a terminação é “ico” e é uma palavra proparoxítona. Por exemplo: óxido hipocromoso: CrO / óxido cromoso: Cr2O3 / óxido crômico: CrO3.
  • No metal que tem quatro valências possíveis, como o manganês (2+, 3+, 4+, 7+), o esquema é o mesmo que o descrito acima para as três primeiras, mas quando o metal é integrado ao óxido com a quarta e mais alta valência, o prefixo “per” e o sufixo “ico” são adicionados ao nome do metal, e ele se torna uma palavra proparoxítona. Por exemplo: óxido hipomanganoso: MnO / óxido manganoso: Mn2O3 / óxido mangânico: MnO2 / óxido permangânico: Mn2O7.

Nomenclatura de Stock

Sob essa nomenclatura, os óxidos são escritos e denominados como “óxido de” + elemento metálico + número romano entre parênteses, que indica a valência com a qual o elemento metálico está interagindo com o oxigênio. Porém, se o elemento metálico tiver apenas uma valência, isso não será indicado no nome do óxido. Por exemplo: óxido de níquel (II): NiO / óxido de níquel (III): Ni2O3 / óxido de magnésio: MgO.

Nomenclatura sistemática

Esta nomenclatura é atualmente recomendada pela IUPAC (International Union of Pure and Applied Chemistry). O conceito de nomear os óxidos básicos como “óxidos de” é mantido, mas é feito de forma precisa, adicionando o prefixo grego padrão correspondente ao número de átomos de oxigênio (à palavra “óxido”) e ao número de átomos de metal (ao nome do metal) presentes em cada molécula, usando a preposição “de” como ponte. Os prefixos são: mono (1 átomo), di (2 átomos), tri (3 átomos), tetra (4 átomos), penta (5 átomos) e assim por diante. Por exemplo: monóxido de dissódio: Na2O / monóxido de níquel: NiO / trióxido de diferro: Fe2O3.

Os óxidos básicos têm incontáveis usos em produtos farmacêuticos, tintas, materiais de construção, plásticos e outros setores.

Exemplos de óxidos básicos

trióxido de dialumínio (Al2O3)óxido de manganês (Mn2O3)
óxido cobaltoso (CoO)óxido permangânico (Mn2O7)
óxido cúprico (CuO)óxido de cálcio (CaO)
óxido hipocromoso (CrO)óxido de zinco (ZnO)
óxido ferroso (FeO)óxido cromoso (Cr2O3)
óxido férrico (Fe2O3)óxido crômico (CrO3)
óxido de magnésio (MgO)óxido mercúrico (HgO)
óxido plumboso (PbO)trióxido de dimanganês (Mn2O3)
óxido estanoso (SnO)trióxido de dicobalto (Co2O3)
óxido estânico (SnO2)dióxido de titânio (TiO2)

Como citar?

Citar la fuente original de donde tomamos información sirve para dar crédito a los autores correspondientes y evitar incurrir en plagio. Además, permite a los lectores acceder a las fuentes originales utilizadas en un texto para verificar o ampliar información en caso de que lo necesiten.

Para citar de manera adecuada, recomendamos hacerlo según las normas APA, que es una forma estandarizada internacionalmente y utilizada por instituciones académicas y de investigación de primer nivel.

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ONDARSE ÁLVAREZ, Dianelys. Óxidos básicos. Enciclopédia de Exemplos, 2024. Disponível em: https://www.ejemplos.co/br/oxidos-basicos/. Acesso em: 11 junho, 2024.

Sobre o autor

Autor: Dianelys Ondarse Álvarez

Licenciada em Radioquímica (Instituto Superior de Ciências e Tecnologias Aplicadas. Havana, Cuba). Doutora em Ciência e Tecnologia (Universidad Nacional de Quilmes, Buenos Aires, Argentina).

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS, Brasil), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur).

Data de publicação: 20 maio, 2024
Última edição: 29 maio, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)