50 Exemplos de
Modo subjuntivo

O modo subjuntivo é um dos modos gramaticais do verbo que se utiliza para expressar ações, a existência ou inexistência de um fato como algo possível, desejado ou hipotético, ou seja, que não estão realmente acontecendo. Por exemplo: Queremos que confiem em nós./Esperamos que tenham ouvido a reclamação.

O modo verbal expressa a intenção daquele que fala ao comunicar uma ação ou estado, mudança de estado, desejo, fenômeno natural. Além do subjuntivo, há dois outros modos de conjugação de verbos em português:

  • Modo indicativo. É usado para se referir a eventos, como reais ou assumidos como certos, isto é, para descrever coisas, fenômenos ou ideias objetivas para fins de informação, seja no passado, no presente ou no futuro. Por exemplo: O dia está ensolarado.
  • Modo imperativo. É utilizado para expressar ordens ou conselhos, bem como para fazer pedidos e dar instruções. Por exemplo: Cuide de sua saúde.

Tempos verbais do subjuntivo

Os tempos verbais do modo subjuntivo são:

  • Presente. Expressa uma probabilidade presente ou futura. Nas orações subordinadas é usado para expressar emoções, sentimentos, desejos, conselhos, avaliações, possibilidades, hipóteses, entre outras. Em geral vem acompanhado do termo “que”. Por exemplo: Espero que amanhã seja um dia ensolarado.
PessoaPrimeira conjugaçãoSegunda conjugaçãoTerceira conjugação
Euque eu ameque eu temaque eu parta
Tuque tu amesque tu temasque tu partas
Ele/ela/vocêque ele/ela/você ameque ele/ela/você temaque ele/ela/você parta
Nósque nós amemosque nós temamosque nós partamos
Vósque vós ameisque vós temaisque vós partais
Eles/elas/vocêsque eles/elas/vocês amemque eles/elas/vocês temamque eles/elas/vocês partam
  • Pretérito imperfeito. Expressa possibilidades, desejos, hipóteses por meio de ações passadas, presentes ou futuras em relação ao verbo da oração principal. Frequentemente aparece acompanhado do termo “se”. Por exemplo: Marta ficaria triste se você partisse.
PessoaPrimeira conjugaçãoSegunda conjugaçãoTerceira conjugação
Euse eu amassese eu temessese eu partisse
Tuse tu amassesse tu temessesse tu partisses
Ele/ela/vocêse eles/elas/vocês amassese eles/elas/vocês temessese eles/elas/vocês partisse
Nósse nós amássemosse nós temêssemosse nós partíssemos
Vósse vós amásseisse vós temêsseisse vós partísseis
Eles/elas/vocêsse eles/elas/vocês amassemse eles/elas/vocês temessemse eles/elas/vocês partissem
  • Pretérito perfeito. Expressa um fato passado provável. Forma-se com o presente do subjuntivo do verbo auxiliar “ter” seguido do particípio do verbo principal. Por exemplo: Espero que a Cláudia não o tenha magoado.
PessoaPrimeira conjugaçãoSegunda conjugaçãoTerceira conjugação
Eutenha amadotenha temidotenha partido
Tutenhas amadotenhas temidotenhas partido
Ele/ela/vocêtenha amadotenha temidotenha partido
Nóstenhamos amadotenhamos temidotenhamos partido
Vóstenhais amadotenhais temidotenhais partido
Eles/elas/vocêstenham amadotenham temidotenham partido
  • Pretérito mais-que-perfeito. Expressa uma ação que ocorreu anteriormente a outra ação também no passado. Forma-se com o verbo “ter” (ou “haver” em linguagem informal) conjugado no pretérito imperfeito do subjuntivo seguido do particípio do verbo principal. Por exemplo: Não sei como teria me sentido se tivesse escutado o que ele disse.
PessoaPrimeira conjugaçãoSegunda conjugaçãoTerceira conjugação
Eutivesse amadotivesse temidotivesse partido
Tutivesses amadotivesses temidotivesses partido
Ele/ela/vocêtivesse amadotivesse temidotivesse partido
Nóstivéssemos amadotivéssemos temidotivéssemos partido
Vóstivésseis amadotivésseis temidotivésseis partido
Eles/elas/vocêstivessem amadotivessem temidotivessem partido
  • Futuro simples. Expressa uma ação ou situação futura e hipotética. Frequentemente vem acompanhado do termo “quando”. Por exemplo: Quando quiser, venha me visitar.
PessoaPrimeira conjugaçãoSegunda conjugaçãoTerceira conjugação
Euquando eu amarquando eu temerquando eu partir
Tuquando tu amaresquando tu temeresquando tu partires
Ele/ela/vocêquando ele/ela/você amarquando ele/ela/você temerquando ele/ela/você partir
Nósquando nós amarmosquando nós temermosquando nós partirmos
Vósquando vós amardesquando vós temerdesquando vós partirdes
Eles/elas/vocêsquando ele/ela/vocês amaremquando ele/ela/vocês temeremquando ele/ela/vocês partirem
  • Futuro composto. Expressa uma ação futura que já terá finalizado em relação a um tempo também futuro, mas que ocorreria somente se a ação anterior se realizasse. Forma-se com o verbo auxiliar “ter” conjugado no futuro do subjuntivo seguido do particípio do verbo principal. Por exemplo: Avisem-me quando tiverem acabado a tarefa.
PessoaPrimeira conjugaçãoSegunda conjugaçãoTerceira conjugação
Eutiver amadotiver temidotiver partido
Tutiveres amadotiveres temidotiveres partido
Ele/ela/vocêtiver amadotiver temidotiver partido
Nóstivermos amadotivermos temidotivermos partido
Vóstiverdes amadotiverdes temidotiverdes partido
Eles/elas/vocêstiverem amadotiverem temidotiverem partido

Exemplos de orações no modo subjuntivo

  1. Eu não acho que esta seja a melhor solução. [Presente]
  2. Se ele trouxesse o material, poderíamos continuar com a obra. [Pretérito imperfeito]
  3. Espero que eles possam terminar a tempo. [Presente]
  4. Espero que ganhemos o campeonato. [Presente]
  5. Se chovesse, as plantas estariam mais verdes. [Pretérito imperfeito]
  6. Ela não ficaria tão entusiasmada se eu tivesse contado tudo. [Pretérito mais-que-perfeito]
  7. Se pudessem oferecer uma comida melhor, teriam mais clientes. [Pretérito imperfeito]
  8. Talvez possamos resolver este problema de um dia para o outro. [Presente]
  9. Teria aprovado se tivesse estudado mais. [Pretérito mais-que-perfeito]
  10. Aqueles que ameaçarem a segurança dos outros participantes serão desqualificados imediatamente. [Futuro simples]
  11. Se eu tivesse tomado o café da manhã, não estaria com tanta fome agora. [Pretérito mais-que-perfeito]
  12. Se organizássemos a festa com antecipação, todos teriam vindo. [Pretérito imperfeito]
  13. Se escutasse a sua mãe, não teria tido tantos problemas. [Pretérito imperfeito]
  14. Não esperava que decidisse tão rapidamente. [Pretérito imperfeito]
  15. Rasgou a carta como se não significasse nada para ele. [Pretérito imperfeito]
  16. Espero que a intervenção traga mudanças positivas. [Presente]
  17. Quando ele assistir a série, descobrirá que era muito ruim. [Futuro simples]
  18. Eu continuaria no mesmo emprego, se não tivesse mudado de país. [Pretérito mais-que-perfeito]
  19. Se tivessem avisado, alguém teria esperado por eles em casa. [Pretérito mais-que-perfeito]
  20. Espero que possam superar suas diferenças. [Presente]
  21. Espero que receba a lição merecida. [Presente]
  22. Seja qual for sua escolha, será respeitada. [Futuro simples]
  23. Se você tivesse vindo, entenderia o que eu digo agora. [Pretérito mais-que-perfeito]
  24. Espero que você tenha curtido as férias. [Pretérito perfeito]
  25. Quando Marina chegar ao escritório, já terá começado a reunião. [Futuro composto]
  26. Ela queria que explicasse tudo de novo. [Pretérito imperfeito]
  27. Peço a você que não se zangue com o que estou prestes a lhe dizer. [Presente]
  28. Avisem quando já tiverem terminado a mudança. [Futuro composto]
  29. Quando eu tiver férias, irei ao Caribe. [Futuro simples]
  30. Se tivessem confiado em mim, hoje a empresa estaria melhor. [Pretérito mais-que-perfeito]
  31. Quando eu crescer, serei médica. [Futuro simples]
  32. Iremos à piscina quando o tempo tiver melhorado. [Pretérito perfeito]
  33. Peço-lhes que se acalmem. [Presente]
  34. Se estas paredes falassem…[Pretérito imperfeito]
  35. Se eu tivesse outra chance, faria tudo de novo. [Pretérito imperfeito]
  36. Se não cumprir com sua obrigação, a justiça entrará em ação. [Futuro simples]
  37. Espero que saiba que fizemos tudo o que podíamos. [Presente]
  38. É ilegal que me cobrem esta taxa. [Presente]
  39. Eu lhe darei tudo o que você quiser. [Presente]
  40. Espero que tenham encontrado o caminho certo. [Pretérito perfeito]
  41. Espero que este e-mail o encontre bem. [Presente]
  42. É impossível que não tenham escutado nada. [Pretérito perfeito]
  43. Se tivesse entregue o trabalho a tempo, estariam aprovado. [Pretérito mais-que-perfeito]
  44. Adoraria que você se comprometesse mais com o projeto. [Pretérito imperfeito]
  45. Achei estranho que não viesse ao festival. [Pretérito imperfeito]
  46. Aqueles que destruírem o imóvel terão de pagar o conserto. [Futuro simples]
  47. Eu não quero que você saia. [Presente]
  48. Pedi que me acompanhasse à festa. [Pretérito imperfeito]
  49. Não importa que não tenhamos ido ao parque. [Pretérito perfeito]
  50. Eu entendo que você não queira me ouvir. [Presente]

Características do modo subjuntivo

Quando o modo subjuntivo é usado em períodos simples, geralmente é precedido por certas expressões, como, espero que, tomara que, talvez, entre outras. Por exemplo:

  1. Espero que saia o sol.
  2. Talvez eu a sua casa.
  3. Tomara que eu veja aquela garota de novo.

Por outro lado, quando o modo subjuntivo é usado em orações subordinadas, geralmente aparece com um conector. Estas orações podem expressar uma atitude ou percepção da pessoa que fala sobre o que está dizendo, e é por isso que muitas vezes são encabeçadas por expressões que explicitam essa perspectiva. Assim, as orações no subjuntivo podem expressar desejo, incerteza, possibilidade, mas também necessidade, ordem, obrigação, súplica, recomendação, proibição, entre muitas outras atitudes. Por exemplo:

  1. É possível que chova.
  2. É provável que chova.
  3. Duvido que chova.
  4. Desejo que chova.
  5. Amo que chova.
  6. Talvez chova.
  7. É importante que chova.
  8. É necessário que chova.

Diferenças entre o subjuntivo e o indicativo

O modo subjuntivo é frequentemente usado em combinação com o modo indicativo, e há também muitos contextos nos quais eles são usados alternadamente, por isso é importante estar ciente de algumas diferenças:

  • O indicativo expressa ações e estados, mudanças de estados, fenômenos naturais em tempos concretos, como eventos da realidade, enquanto que o subjuntivo geralmente expressa eventos hipotéticos, desejados ou possíveis, mas que não estão realmente acontecendo. Por exemplo: Amanhã visitarei você./Talvez eu visite você amanhã.
  • O modo indicativo é usado para expressar fatos concretos e conhecidos, enquanto o subjuntivo normalmente não tem esse nível de especificidade ou certeza. Por exemplo: Traga os pratos que estão no armário./Traga os pratos que estiverem no armário.

Tempos verbais

Os tempos verbais indicam quando uma ação, estado, mudança de estado, fenômenos naturais ocorrem, se ocorrem no passado, no presente ou no futuro.

IndicativoPresentePretérito perfeitoPretérito imperfeitoPretérito mais-que-perfeitoFuturo do presenteFuturo do pretérito
Euamoameiamavaamaraamareiamaria
Eutemotemitemiatemeratemereitemeria
Eupartopartipartiapartirapartireipartiria
SubjuntivoPresentePretérito imperfeitoPretérito perfeitoPretérito mais-que-perfeitoFuturo simplesFuturo composto
Euame amasse tenha amado tivesse amado amar tiver amado
Eutematemesse tenha temido tivesse temidotemer tiver temido
Eupartapartisse tenha partido tivesse partidopartir tiver partido
ImperativoAfirmativoNegativo
Vocêame não ame
Vocêtemanão tema
Vocêpartanão parta

Continue com:

Como citar?

Citar a fonte original da qual extraímos as informações serve para dar crédito aos respectivos autores e evitar cometer plágio. Além disso, permite que os leitores acessem as fontes originais que foram utilizadas em um texto para verificar ou ampliar as informações, caso necessitem.

Para citar de forma adequada, recomendamos o uso das normas ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que é uma entidade privada, sem fins lucrativos, usada pelas principais instituições acadêmicas e de pesquisa no Brasil para padronizar as produções técnicas.

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

KILLMANN, Márcia. Modo subjuntivo. Enciclopédia de Exemplos, 2023. Disponível em: https://www.ejemplos.co/br/modo-subjuntivo/. Acesso em: 9 julho, 2024.

Sobre o autor

Autor: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS, Brasil), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur).

Revisado por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ).

Data de publicação: 29 junho, 2023
Última edição: 4 agosto, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)