50 Exemplos de
Conjunções

A conjunção é uma palavra invariável que tem a função de estabelecer relações entre diferentes elementos: palavras, grupos de palavras, orações, períodos. Por exemplo: mas, e, ou, pois.

Do ponto de vista funcional, as conjunções são conectores, pois ligam as diferentes partes dos enunciados, e são a única classe de palavras que tem exclusivamente esta função. Existem diferentes tipos de conjunções e cada uma expressa uma relação particular entre os elementos que liga.

As conjunções e locuções conjuntivas classificam-se em:

  • Conjunções coordenativas. Ligam elementos funcionalmente equivalentes que podem ser palavras, orações, períodos,  de modo que não estabelecem relações hierárquicas entre eles, mantendo sua independência. Por exemplo: O menino e seu pai foram pescar.
  • Conjunções subordinativas. Ligam duas orações de diferentes hierarquias sintáticas e estabelecem uma relação de dependência entre elas. Por exemplo: Embora ele tenha tentado, não conseguiu ter sucesso.

Conjunções coordenativas

As conjunções coordenativas se classificam em:

  • Conjunções aditivas. Introduzem elementos que somam-se. Por exemplo: e, nem (Carlos não foi trabalhar nem descansou.), mas ainda.
  • Conjunções alternativas. Introduzem alternativas ou escolha. Por exemplo: ou… ou (Este clima está muito estranho: ou faz frio ou faz calor.), ora… ora.
  • Conjunções adversativas. Introduzem elementos que contrastam ou se opõem. Por exemplo: mas (Você vai trabalhar hoje, mas eu vou descansar.), contudo, entretanto.
  • Conjunções conclusivas. Introduzem elementos que encerram a conclusão do primeiro enunciado. Por exemplo: portanto, logo (“Penso, logo existo.”), por isso.
  • Conjunções explicativas. Introduzem elementos que justificam a ideia contida no primeiro enunciado. Por exemplo: que, porque, pois (Espere um pouco mais, pois tenho certeza de que ele chegará.).

Atenção: quando a conjunção “ou” indica equivalência adquire valor explicativo. Por exemplo: As figuras de linguagem ou de estilo são formas não convencionais de usar as palavras.

Conjunções subordinativas

As conjunções subordinativas se dividem em:

  • Conjunções conformativas. Introduzem uma oração subordinada em que se expressa uma conformidade de um fato com outro, de ideias, de pensamentos em relação à oração principal. Por exemplo: conforme (Faço tudo conforme fui ensinada).
  • Conjunções condicionais. Estabelecem uma condição para que seja cumprido o que foi expresso no enunciado principal. Por exemplo: se (Se você não vier, ficarei triste.), caso (Caso chova, cancelaremos a festa.).
  • Conjunções causais. Indicam a causa do que foi expresso na oração principal. Por exemplo: porque (Irei porque você pediu.), pois (Não participarei pois tenho outro compromisso.), como (Como não tinha estudado, reprovou no teste.).
  • Conjunções consecutivas. Indicam a consequência ou dedução do que foi expressa na oração principal. Por exemplo: que – precedida de tão, tanto, tal, tamanho – (Havia tanto sol que tivemos que ir embora.)
  • Conjunções concessivas. Apontam a uma objeção ou obstáculo para que ocorra a ação da oração principal, mas que não impede de ser realizada. Por exemplo: ainda que (Ainda que eu explique, você não entenderá.), nem que (Coma, nem que seja a sobremesa.).
  • Conjunções temporais. Introduzem a oração principal na qual expressa o tempo. Por exemplo: logo que (Logo que chegou, dormiu.), enquanto (Enquanto ele cozinhava, ela estudava.).
  • Conjunções comparativas. Introduzem o segundo termo de comparação nos enunciados ou orações comparativas. Por exemplo: que (Agora é mais feliz que antes.), como (É inteligente como era o pai dela.).
  • Conjunções finais. Apontam à finalidade ou objetivo do que foi expresso na oração principal. Por exemplo: para que (Saiu correndo para que não o apanhassem em flagrante.), a fim de que (Deu parte na polícia, a fim de que o incidente ficasse registrado.).
  • Conjunções proporcionais. Introduzem orações que exprimem proporção. Por exemplo: à medida que (À medida que passava o tempo, tudo voltava à normalidade.).

Atenção: As conjunções subordinativas só unem períodos, e, pelo menos uma delas, não faz sentido sem a outra, já que há uma diferença na hierarquia sintática: uma é a oração principal e a outra é chamada de subordinada.

Locuções conjuntivas

A maioria das conjunções subordinadas são, na verdade, locuções conjuntivas, ou seja, construções que consistem em duas ou mais palavras, que cumprem as mesmas funções que as conjunções.

  • Preposição + que: para que, por que.
  • Advérbio + que: ainda que, bem que, sempre que, assim que, já que.
  • Particípio + que: posto que, dado que, visto que.
  • Preposição + substantivo + que: por mais que, à medida que, de maneira que.

Orações com conjunções coordenativas

Conjunções aditivas

  1. Eu tenho um gato e o vizinho tem um cachorro.
  2. Todos os textos e ilustrações foram entregues.
  3. Ele não pediu para comer nem para beber nada em particular.
  4. Tanto o panorama nacional quanto o contexto internacional apontam na mesma direção.
  5. Eles não limpavam a casa nem lavavam a roupa.

Conjunções alternativas

  1. Para a animação, eles vão contratar um palhaço ou um mágico.
  2. Ou aumentamos o orçamento ou reduzimos as despesas.
  3. Quer fazia suas tarefas, quer brincava, sempre era repreendido.
  4. A criança teria sete ou oito anos de idade.

Conjunções adversativas

  1. Entendo o que você está dizendo, mas não aceito a proposta.
  2. Eles correram o mais rápido que puderam, porém perderam o avião.
  3. Decidimos ajudá-lo, contudo, não temos muito tempo.
  4. Esta não é a última chance, mas uma entre muitas.
  5. Não questiono a você, senão a ele.

Orações com conjunções subordinativas

Conjunções conformativas

  1. Nem tudo é conforme vocês imaginam.
  2. Segundo ouvi dizer, a funcionária vai processar a empresa por calúnia e difamação.
  3. A palestra foi consoante com o público.
  4. Como disse o poeta: “Navegar é preciso, viver não é preciso”.(Fernando Pessoa).

Conjunções condicionais

  1. Se tivermos a oportunidade, iremos à Argentina.
  2. Caso não passe na prova, não me vão me deixar sair no fim de semana.
  3. Assistirei ao jogo ao vivo, se puder.
  4. Temos vagas diurnas, caso você prefira não estudar à noite.
  5. Se tivesse chovido, não precisaria regar as plantas.

Conjunções causais

  1. A criança está feliz porque hoje é o seu aniversário.
  2. Como não há objeções, prosseguiremos com a assinatura do contrato.
  3. Ninguém ousa se aproximar da casa, pois há um cachorro que a guarda.
  4. Como ele se levanta cedo amanhã de manhã, irá para a cama cedo.
  5. Vou me hospedar em outro hotel, já que não há quarto no que eu havia inicialmente escolhido.

Conjunções consecutivas

  1. Depois de tanta chuva saiu o sol, de modo que vamos dar um passeio.
  2. Vovó não pode ver uma propaganda publicitária com oferta sem que queira comprar.
  3. Está tão frio que prefiro não sair.
  4. Os alimentos estão bem conservados, de maneira que podem ser consumidos sem qualquer problema.
  5. A reunião foi adiada, de maneira que todos pudessem estar presentes.

Conjunções concessivas

  1. Ainda que se oponham, seguiremos com os nossos planos.
  2. Não se demitirá, embora se sinta pressionado.
  3. Por mais que você tente, não conseguirá impedi-lo.
  4. Não mudará de opinião, mesmo que lhe implore.

Conjunções temporais

  1. Enquanto um de nós cozinha, o outro arruma a mesa.
  2. Assim que eu chegar em casa, ligo para você.
  3. A mãe desligou a luz após a criança ter adormecido.
  4. Quando você saiu, organizei a mudança.

Conjunções comparativas

  1. Ele está mais feliz hoje do que estava antes.
  2. Ela é tão inteligente quanto simpática.
  3. O garoto é tão corajoso quanto seu irmão mais velho.
  4. Está mais frio dentro do que fora da casa.
  5. Ela cozinha melhor que a sua mãe.

Conjunções finais

  1. Quero explicar para que vocês me entendam.
  2. Temos que submeter este orçamento para aprovação do cliente.
  3. Contratamos mais enfermeiras a fim de que todos os pacientes tenham os cuidados necessários.
  4. Sua mãe me chamou para falar sobre você.
  5. Compraremos mais bebidas para que não falte na festa.

Referências

  • BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.
  • CEGALLA, Domingos Paschoal. Gramática da Língua Portuguesa. 48 ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional.
  • CIPRO NETO, Pasquale; INFANTE, Ulisses. Gramática da Língua Portuguesa. 3. ed. São Paulo: Scipione, 2010.
  • CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 7. ed. Rio de Janeiro: Lexikon Editora Digital, 2016.
  • LIMA, ROCHA. Gramática normativa da língua portuguesa. 49 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2011.

Continue com:

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

KILLMANN, Márcia. Conjunções. Enciclopédia de Exemplos, 2023. Disponível em: https://www.ejemplos.co/br/conjuncoes/. Acesso em: 12 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS, Brasil), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur).

Revisado por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ).

Data de publicação: 29 junho, 2023
Última edição: 4 agosto, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)