30 Exemplos de
Instrumentos de percussão

Os instrumentos de percussão são aqueles que produzem música a partir das ondas obtidas após atingir ritmicamente uma das suas superfícies. Estas batidas podem ser desferidas com a mão ou com uma baqueta ou vareta, ou mesmo com outra parte do mesmo instrumento. Por exemplo: tambor, xilofone, sino.

Estes instrumentos são geralmente utilizados para produzir padrões rítmicos ou notas de escala. A maioria deles é de batida ou de choque (triângulo e gongo), mas também há aqueles que são pressionados ou pinçados com uma ou duas mãos, com arco ou outro objeto (serra musical) e aqueles que são sacudidos (maracás).

Características dos instrumentos de percussão

As principais características dos instrumentos de percussão são:

  • Formato simples e rudimentar. Seu desenho é simples e, devido a isto, trata-se dos instrumentos mais antigos na história da humanidade. Os primeiros foram criados a partir de objetos facilmente disponíveis, como troncos, pedras e outros materiais naturais.
  • Produção de som por impacto. Geram som quando são atingidos, sacudidos ou raspados, e para fazer isso eles usam a energia cinética de um objeto externo, como uma baqueta, uma mão ou um objeto percussivo.
  • Função rítmica. Desempenham uma função principal na criação e manutenção do ritmo, e marcam os acentos e pulsos de uma composição. Para isso, complementam-se com outros instrumentos, como o baixo ou o contrabaixo.
  • Flexibilidade de interpretação. Oferecem uma ampla variedade de possibilidades de interpretação com diferentes técnicas de manipulação e uso de acessórios.
  • Versatilidade em gêneros musicais. São utilizados em uma grande variedade de gêneros musicais, desde a música clássica e o jazz até a música folclórica, o rock, pop e a música eletrônica.

Exemplos de instrumentos de percussão

  1. Tambor. É composto por uma caixa harmônica cilíndrica, coberta por uma membrana de diferentes materiais que cobre a abertura. Emite sons ao ser dedilhado com a mão ou com dois cilindros de madeira chamados baquetas. Sua origem remonta a tempos antigos e costuma ser muito empregado em marchas militares e celebrações.
  2. Timbal. É semelhante ao tambor, mas emite sons graves. É geralmente composto por um caldeirão de cobre coberto por uma membrana, que exige suas próprias baquetas (baquetas timbal) para ser tocado.
  3. Xilofone. É percutido com dois ou quatro ponteiros e geralmente tem um tamanho pequeno. É construído por uma série de folhas de madeira de diferentes tamanhos, fixas a um suporte. Ao serem batidas, as madeiras reproduzem as diferentes notas.
  4. Sino. Tem forma de copo invertido e é feito de metal, como os sinos das igrejas ou de outros ambientes urbanos. Vibra ao ser batido, geralmente pelo badalo que vai suspenso dentro da taça.
  5. Crótalo. É composto por duas peças metálicas pequenas, como os pratos, que aderem com uma correia aos dedos indicador e polegar, como castanholas, e se entrechocam ao ritmo desejado, muitas vezes como parte de uma dança.
  6. Celesta. Assemelha-se a um pequeno piano vertical. Opera com o impacto de uma série de martelos, ligados às suas teclas, cujas batidas atingem lâminas metálicas dispostas sobre ressonadores de madeira. Como o piano, tem um pedal para modular os seus sons. Também pode ser considerado como um instrumento de teclado.
  7. Cajón peruano. É um dos poucos instrumentos de percussão em que o músico se senta em cima. De origem andina, o som é obtido do toque ou do percutir das mãos com as paredes de madeira da gaveta (do cajón).
  8. Triângulo. Tem um som agudo e indefinido. Trata-se de um triângulo de metal que é batido com uma barra do mesmo material e se deixa vibrar, e atinge uma grande sonoridade, inclusive acima das orquestras.
  9. Taiko (grande tambor). É um tambor de origem japonesa, tocado com umas baquetas de madeira chamadas bachi. Especificamente, o nome alude a um grande e pesado tambor de base, imóvel devido às suas proporções, que é batido com um martelo de madeira.
  10. Castanholas. São tradicionalmente de madeira e se fazem chocar entre os dedos ao ritmo da dança. Foram inventadas pelos fenícios há milhares de anos. São muito frequentes na cultura andaluza, na Espanha. Normalmente há uma aguda (mão direita) e uma grave (mão esquerda).
  11. Maracás. Inventaram-nas em tempos pré-colombianos na América, e consistem em uma parte esférica recheada com partículas precursoras, que podem ser sementes ou pequenas pedras. As tribos indígenas ainda as empregam, mas em sozinhas, enquanto na música caribenha e no folclore colombo-venezuelano são empregados de dois em dois.
  12. Bumbo. Tem um timbre muito grave e indeterminado. Costuma ser confiado a ele a tarefa de marcar o pulso da comparsa ou da orquestra. Estima-se que tenha origem otomana.
  13. Bateria. Trata-se de um conjunto de instrumentos, mais do que de um, uma vez que agrupa bumbos, tambores e pratos em uma única instalação, muito popular nos agrupamentos musicais contemporâneos. Tocam-se com duas baquetas de madeira e alguns instrumentos com um pedal.
  14. Gongo. É um grande disco metálico, geralmente de bronze, de bordas curvadas para dentro e que é batido com um martelo. Originário da China, é geralmente suspenso verticalmente e deixado vibrar, muitas vezes com funções rituais ou celebrativas, nas culturas orientais.
  15. Pandeiro meia lua. Trata-se de uma moldura redonda rígida de madeira ou outro material, na qual são inseridos pequenos chocalhos ou chapas de metal. Seu som é, justamente, a vibração dos chocalhos.
  1. Bongô. É composto por dois corpos ressonantes de madeira, um menor que o outro, cobertos cada um com uma membrana de couro sem pêlos, esticada através de argolas metálicas. Bate-se com as mãos encostado entre os joelhos enquanto a pessoa está sentada.
  2. Xequerê. É semelhante ao maracá, exceto que é um corpo oco e fechado, com sonajas metálicas por fora, que ao bater-se contra a mão ou mover-se no ar produzem o som.
  3. Matraca. É composto por uma lâmina de madeira ou metal no centro e vários martelos móveis que, ao ralar uma na outra, produzem um som característico chamado matraqueio.
  4. Atabaque. É semelhante ao tambor. É fabricado em forma de barril e tocado com a ponta dos dedos, com o pulso e a borda da mão. Emprega-se profusamente nas culturas africanas ou afrodescendentes, como o ritmo do candomblé.
  5. Marimba. Consiste de barras de madeira percutidas com um martelo para reproduzir as notas musicais. Na parte inferior, estas barras dispõem de ressonadores que dão um som mais grave que o do xilofone.
  6. Caixa chinesa. É composta por um pedaço de madeira de forma retangular que tem uma fenda que serve como caixa harmônica. A emissão do som é obtida ao atingir esta caixa com uma baqueta especialmente desenhada para esta tarefa.
  7. Claves. São duas peças de madeira, comumente de forma cilíndrica, que geram som ao bater uma contra a outra. Embora sejam tipicamente feitas de madeira, também é possível encontrar claves feitas de fibra de vidro ou plástico. Tem uma relevância significativa na música latino-americana.
  8. Guiro. Consta de um corpo de madeira ou metal, que apresenta uma textura ondulada e emite som ao ser raspado com uma vara. Desempenha um papel importante nas músicas de raízes latinas.
  9. Vibrafone. É parecido ao xilofone, embora em vez de folhas de madeira, utiliza-se alumínio. Estas lâminas são batidas com baquetas que podem ter cabeças de diversos materiais como fio de lã, nylon, borracha, plástico ou outros, segundo o som desejado.
  10. Pandeiro. É uma armação circular de estrutura que é muito semelhante ao pandeiro meia lua, porém, com uma das faces coberta. Este instrumento de percussão é um dos mais antigos e é executado diretamente com a mão.
  11. Vibraslap (ou queixada). É constituído por uma peça de arame rígido em forma de alça, que liga uma bola de madeira a um bloco que contém “dentes” de metal no seu interior. Ao segurar o punho com uma mão e bater a bola contra a palma da outra mão, os dentes de metal vibram contra o bloco de madeira e produzem um som de repiquete.
  12. Pau de chuva. Consiste de um tubo vazio cheio de sementes. Ao inclinar o tubo, as sementes colidem com as paredes e produzem um som que evoca a chuva caindo no chão.
  13. Tambor de aço. É semelhante a um tambor, mas de menor altura, reconhecido por seu som metálico distinto gerado por uma série de cabos esticados em sua parte inferior. Toca-se com duas baquetas de madeira e constitui um componente essencial da bateria.
  14. Djembê. É um tipo de tambor de origem africana, especificamente da África Oriental, notável pela sua forma distintiva. Toca-se batendo com as mãos e produz tons que variam em acuidade ou gravidade segundo o ponto de impacto. Isto possibilita a criação de uma ampla gama de ritmos com notas de diferentes alturas.
  15. Campana. Consiste de um sino sem badalo, o que implica que o som é gerado ao batê-lo com uma baqueta. A altura do som pode ser ajustada de acordo com o tamanho.

Tipos de instrumentos de percussão

Existem muitas formas de classificar os instrumentos de percussão: de acordo com o meio que define o som e que produz o som.

Segundo o meio que produz o som, podem ser:

  • Instrumentos membranofones. São aqueles que produzem som através da vibração de uma membrana. Por exemplo: bombo, tambor, conga.
  • Instrumentos idiofones. São aqueles que produzem som a partir da vibração de todo o seu corpo, sem a necessidade de uma tensão. Por exemplo: pratos, xilofone, caixa chinesa.

Dependendo do tipo de som que produzem, também podem ser:

  • Instrumentos de altura definida (ou melódicos e harmônicos). São aqueles que podem produzir sons a uma determinada nota. Por exemplo: marimba, sinos e xilofones.
  • Instrumentos de altura indefinida (ou rítmicos). São aqueles que não produzem um som a uma altura claramente identificável, o que impossibilita tocar melodias. No entanto, eles são usados para criar e marcar ritmos. Por exemplo: pandeiro, bombo e pratos.

De acordo com o tipo de percussão, classificam-se em:

  • Instrumentos percutidos. São aqueles que se batem ou se chocam com a mão ou com as varetas ou baquetas para produzir sons. Por exemplo: bumbo, cajón peruano.
  • Instrumentos agitados. São aqueles que produzem o som quando são agitados de forma repetida. Por exemplo: maracás, guizo.
  • Instrumentos entrechocados. São aqueles que estão formados por duas peças iguais que produzem um som ao chocar entre si. Por exemplo: pratos, castanholas.
  • Instrumentos raspados. São aqueles que produzem o som devido à rugosidade de sua superfície. Por exemplo: matraca, guiro.
  • Instrumentos pinçados (ou dedilhados). São aqueles que produzem o som geralmente mediante a vibração de uma lâmina, quando esta é dedilhada com os dedos. Por exemplo: kalimba.

Referências

  • Latham, A. (2008). Diccionario Enciclopédico de la Música. Fondo de Cultura Económica.
  • Lee, D. (2019). Hornbostel-Sachs classification of musical instruments. Knowledge Organization, 47(1), 72-91.

Como citar?

Citar a fonte original da qual extraímos as informações serve para dar crédito aos respectivos autores e evitar cometer plágio. Além disso, permite que os leitores acessem as fontes originais que foram utilizadas em um texto para verificar ou ampliar as informações, caso necessitem.

Para citar de forma adequada, recomendamos o uso das normas ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que é uma entidade privada, sem fins lucrativos, usada pelas principais instituições acadêmicas e de pesquisa no Brasil para padronizar as produções técnicas.

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

, Equipo editorial, Etecé. Instrumentos de percussão. Enciclopédia de Exemplos, 2024. Disponível em: https://www.ejemplos.co/br/instrumentos-de-percussao/. Acesso em: 18 julho, 2024.

Sobre o autor

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ).

Data de publicação: 25 junho, 2024
Última edição: 25 junho, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)